Nós fornecemos soluções eficientes, seguras e sustentáveis a nossos clientes

Os RPCs da IFCO aumentam a eficiência das cadeias de suprimentos de nossos clientes, indo de uma melhor utilização de espaço até à redução de tempo do manuseio, empilhamento e carregamento, reduzindo gastos e perdas de recursos. Nossos RPCs também são mais seguros para os usuários do que as embalagens de uso único. Eles são desenvolvidos com ergonomia em mente, reduzindo o número de lesões por esforço e eliminando a necessidade de estiletes para abrir as caixas. Os RPCs também ajudam a diminuir o impacto ambiental das cadeias de suprimentos de nossos clientes. Estudos recentes conduzidos na Europa e na América do Norte confirmam que o uso de nossos RPCs diminui o impacto ambiental de cadeias de suprimento de produtos frescos, em comparação ao uso de embalagens de papelão. 

Veja mais informações aqui, em nossa abordagem aos consumidores.

* Fraunhofer IBP study, Carbon Footprint of Food packaging, Commissioned by Stiftung Initiative Mehrweg (SIM) Feb 2018; The Sustainability of Packaging Systems for Fruit and Vegetable Transport in Europe based on Life-Cycle-Analysis, Update 2009", published in February 2009 by Stiftung Initiative Mehrweg; Franklin Associates, 2017,“Comparative Life Cycle Assessment of RPCs and display and non-display ready corrugated containers used for fresh produce applications”


Nós minimizamos nosso impacto no meio ambiente através da melhora contínua de nossos produtos, de nossas operações e de nossa cadeia de suprimentos.

Ao fazer parceria com nossos fornecedores de equipamentos, nós desenvolvemos equipamentos de lavagem e secagem altamente eficientes em recursos, que minimizam nossos gastos de energia e água. Nossos engenheiros de RPCs buscam continuamente formas de fazer com que nossas embalagens possam ser empilhadas de forma mais eficiente para otimizar o número de RPCs possíveis de se empilhar por palete, diminuindo os requerimentos de transporte a cada melhora.

A IFCO instalou equipamentos para a reciclagem de água, que diminuem a quantia de água usada durante nosso processo de lavagem. Além disto, nós utilizamos tecnologias que economizam energia em nossos centros de lavagem, através de uma geração combinada de calor e eletricidade.

A IFCO apoia as comunidades nas quais operamos

A IFCO apoia bancos de alimentos em nossos mercados ao redor do mundo através de nossa iniciativa Worldwide Responsibility. Para mais informações sobre o apoio da IFCO aos bancos de alimentos, clique aqui.

Nossas soluções ajudam a reduzir o desperdício de alimentos na cadeia de suprimentos

Os RPCs da IFCO reduzem a perda de alimentos resultante de danos mecânicos (esmagamentos, cortes, ferimentos) e temperaturas impróprias. O interior plano e a construção robusta de nossos RPCs protegem produtos perecíveis de danos durante o embalamento, empilhamento e transporte, resultando em taxas significantemente reduzidas de danos e, consequentemente, perda de alimentos do produtor ao varejista. Um estudo de 2013 [link do estudo em PDF] conduzido pelo Fraunhofer Institute for Material Flow and Logistics e pelo Cold-Chain Management Working Group na Universidade de Bonn avaliou potenciais conexões entre os danos aos produtos e o tipo de embalamento (especificamente RPCs e caixas de papelão). Através da cadeia de suprimentos, as seguintes taxas de danos às embalagens foram observadas:

Menores Taxas de Danos à Embalagem

Taxa de Danos dos RPCs: 0,12%

Taxa de Danos das Embalagens Descartáveis: 4,2%

Menores Taxas de Danos aos Produtos

Danos aos Produtos em RPCs: 0%

Danos aos Produtos em Embalagens Descartáveis: 20%

Taxas de Danos às Embalagens na Central de Armazenamento

Taxa de Dano das RPCs na Central de Armazenamento

Taxa de Dano das Embalagens Descartáveis na Central de Armazenamento

Além de reduzir os danos mecânicos, nossos RPCs são altamente ventilados, permitindo um resfriamento mais rápido após a colheita de produtos perecíveis. Tal ventilação também permite um melhor controle de temperatura dos produtos durante o armazenamento e o transporte. O controle de temperatura e a rapidez no resfriamento pós-colheita promovem uma vida útil maior a produtos frescos, reduzindo resíduos e produtos invendáveis no varejista. Estes benefícios têm sido confirmados em estudos com morangos, mangas, abóboras e outros produtos.